Francisco Gilson Rebouças Porto Jr.

 

Construindo uma Teia:
Anísio Teixeira e a Educação Brasileira

Francisco Gilson Rebouças Porto Júnior
Faculdade de Educação, Universidade de Brasília (UnB)

Pretende-se nesta breve referência cronológica situar a presença e a importância de Anísio Teixeira no contexto educacional mundial e brasileiro. É uma tentativa de reunir a produção intelectual de Anísio Teixeira dentro do contexto das mudanças nacionais e mundiais. Não se pretende a exaustão, pois são diversos os acontecimentos que de certa forma, entrelaçam-se e formam uma teia histórica.

Nesta teia engendram-se nomes que ficaram marcados de forma indelével, tais como Fernando de Azevedo, Lourenço Filho, Afrânio Peixoto, Mario Casasanta, Paschoal Lemme, Hermes Lima e muitos outros signatários do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova que formaram a constante nacional atuante na educação. Defenderam uma educação como função essencialmente pública, única, laica, gratuita e obrigatória.

Neste trabalho, leva-se em conta o surgimento de pedagogias e filosofias estrangeiras que influenciaram a educação e, que de certa forma foram inseridas no contexto educativo nacional. Inicia-se esta teia histórica com as primeiras produções educacionais estrangeiras e, posteriormente acrescentam-se os fatos marcantes, quer econômicos, quer políticos que influenciaram o pensamento educacional brasileiro.

 

O início

1899 Fundação da École des Roches por E. Demolins. Dewey: Escola e Sociedade. Criação da “Verein Für Kinderspsychologie” em Berlim (Associação para a psicologia da criança). William James: Palestras pedagógicas.
1900 Freud: A Ciência dos Sonhos. Ellen Key: A Criança do Século. Kropotkin: Campos, fábricas e oficinas. Nascimento de Anísio Teixeira.
1901 Fundação da 1º Escola Moderna por Francisco Ferrer. Brasil: Código dos Institutos Oficiais do Ensino Superior e Secundário, por Epitácio Pessoa.
1902 Dewey: A Escola e a Criança. Publicado La science et l’hypothese de Henri Poincare.
1903 Lay: Didática experimental. Marcha organizada pelo Grêmio dos estudantes da Escola Politécnica de São Paulo contra a cobrança de taxas de matricula para estudantes secundários.
1904 Fundação de “La Ruche”, escola libertária em Rambouillet.
1905 Freud: “Dora(1º psicanálise). Publicado o livro Die protestantische Ethik und der Geist des Kapitalismus (Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo) de Max Weber.
1906 L’Avenir Social”, Orfanato libertário fundado por M. Vernet. Publicação de Der Antichrist, de Friedrich Nietzsche.
1907 Fundação da “Maison des enfants” em Roma por Maria Montessori. Decroly: École de l’Hermitage (Bruxelas). Tobler: “Landerziehungsheim” de Holf-Oberkurch (Suiça). Anísio Teixeira inicia seus estudos no Instituto São Luiz Gonzaga, em Caetité.
1908 Cousinet: A solidariedade infantil. Scwartz-Bys: A escola nova de Chataignerie (Suiça). Publicado o livro Science et methode de Henri Poincarè e Ecce Homo de Friedrich Nietzsche. Brasil: primeira Faculdade de Filosofia (Mosteiro de São Bento).
1909 Freud: Hans, o homem dos ratos e Cinco Lições sobre Psicanálise.
1910 Fundação da escola de Odenwald (por Geheeb). Freud: O futuro da psicanálise. Fundação da escola Ferrer (Lausanne).
1911 Freud: “O Presidente Schreber(4º psicanálise). Meumann: Lições para a introdução a Pedagogia experimental (1911-1915). Brasil: Lei Orgânica do Ensino Superior e Fundamental da República, por Rivadávia Correia.
1912 Otto: A escola do futuro (Alemanha). Kerchesnsteiner: Conceito da escola do trabalho.
1913 Freud: A Neurose obsessiva. Montessori: Pedagogia Científica. Claparéde e Bovet: Maison des Petits (Suiça). Gentile: Sumário de pedagogia como ciência filosófica.
1914 Decroly: Os jogos educativos. Cousinet: A justiça social entre as crianças. Início da 1º Guerra Mundial. Anísio Teixeira conclui seus estudos secundários no Colégio Antonio Vieira, em Salvador. Lourenço Filho termina o curso da Escola Normal Primária. Antonio de Sampaio Dória publica Princípios de Pedagogia.
1915 Fernando de Azevedo apresenta projeto ao governo mineiro que torna obrigatória a educação física.
1916 Dewey: Democracia e educação. Publicado Der Formalismus in der Ethik und die materiale Wertethik: Versung der Grundlegung eines ethischen Personalismus (Formalismo na Ética e a Ética Material dos Valores: Tentativa de Fundamentar um Personalismo Etico) de Max Scheler. Fernando de Azevedo publica A Poesia do Corpo (mais tarde publicado com o nome Da Educação Física).
1917 Revolução Russa. Publicado o livro Estado e Revolução de Vladimir Ilitch Ulianov (Lênin). Freud: Introdução à psicanálise (1916-1917). Greves Anarquistas em São Paulo.
1918 Freud: O homem com os lobos (5º psicanálise). Direitos da criança. Lei Fisher: Central Schools (Inglaterra). Max Weber profere as palestras Wissenschaft als beruf (Ciência como Vocação) e Politik als beruf (Política como Vocação) na Universidade de Munique. Fundação pelo Grêmio da Escola Politécnica de São Paulo de uma escola noturna para alfabetização de adultos que resultou na campanha Paula Souza de alfabetização.
1919 Aplicação das idéias de Ellen Key e de Gurlitt em quatro escolas de Hamburgo. Fechamento da Escola Ferrer de Lausanne. Baumgarten” de Siegfried Bernfeld (Alemanha).
1920

Ferriére: A escola ativa. Início da experiência de Freinet em Bar-sur-Loup. Cousinet organiza o trabalho livre por grupo. Fundação da colônia Gorki por Makarenko. Gaudig: A escola a serviço da personalidade. Nunn: A educação, seus dados e primeiros princípios. Häberlin: Caminhos e descaminhos da educação. Brasil: Reforma de Sampaio Dória na Instrução Pública de São Paulo. Fernando de Azevedo publica Da Educação Física e Antinous: Estudo da Cultura Atlética. Lourenço Filho é nomeado Professor Substituto de Pedagogia e Educação Cívica na Escola Normal Primária de São Paulo.

1921

Ferriére: Autonomia dos estudantes. Blonsky: Marxismo e pedagogia. Wyneken: Escola e cultura juvenil. Frischeisen-Köhler: Formação e visão do mundo. Fernando de Azevedo é nomeado professor de Latim e Literatura da Escola Normal de São Paulo. Lourenço Filho é nomeado professor da cadeira de Psicologia e Pedagogia da Escola Normal de Piracicaba. Funda a Revista de Educação onde publica o primeiro trabalho de pedagogia experimental: Estudo da Atenção Escolar.

1922 Ferriére: Prática da escola ativa. Durkheim: Educação e sociologia. Anísio Teixeira conclui o curso de Direito na antiga Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade do Rio de Janeiro. Lourenço Filho é comissionado, sem vencimentos, Diretor da Instrução Pública do Ceará. Inicia a reestruturação do ensino primário no Ceará.
1923 Fernando de Azevedo publica No tempo de Petrônio e Velha e Nova Política: Aspectos e Figuras da Educação Nacional.
1924 Vera Schmidt cria em Moscou “O Jardim experimental”. Movimento Tenentista. Inicio da Coluna Prestes. Anísio Teixeira assume o cargo de Inspetor-Geral do Ensino da Secretaria do Interior, Justiça e Instrução Pública; Inicia a reforma do ensino primário na Bahia. Fernando de Azevedo publica Jardins de Salústio: a margem da vida e dos livros.
1925 Dewey: Como pensamos. Morte de Steiner. Anísio Teixeira elaborou o Projeto de Lei n° 1.846, aprovado em 14 de agosto de 1925, para reformar a Instrução Pública do Estado da Bahia, secundada pelo Decreto 4.312/25, para aprovar o Regulamento do Ensino Primário e Normal. Fernando de Azevedo publica O segredo da renascença e outras conferencias.
1926 Dewey: As escolas de amanhã. Litt: Possibilidades e limites da pedagogia. Alain (Emile Auguste Chartier) publica Le citoyen contre les pouvoirs (O cidadão contra os poderes). É publicado a crônica “O alto sertão da Bahia” na Revista do Instituto Geographico e Historico da Bahia. Lourenço Filho traduz Psicologia Experimental de Henri Piéron e A Escola e a Psicologia Experimental de Edouard Claparéde. Organiza a primeira coleção de textos de divulgação pedagógica criada no pais, a Biblioteca de Educação, da Edições Melhoramentos.
1927 Dottrens funda a escola experimental do Mail em Genebra. Bode: Teorias modernas de educação (Estados Unidos). Brasil: Reforma do ensino de Fernando de Azevedo no Rio de Janeiro. Minas Gerais: reforma do ensino primário por Francisco Campos e Mário Casasanta. Anísio Teixeira faz sua primeira viagem aos EUA para estudos de organização escolar. Fernando de Azevedo é Diretor Geral da Instrução Pública do Distrito Federal por indicação de Washington Luis, iniciando a reforma do ensino público. Publica o livro Instrução Pública no Distrito Federal e Páginas Latinas. Lourenço Filho participa da fundação do Liceu Nacional Rio Branco, onde organiza e dirige a Escola Experimental Rio Branco.
1928 Anísio Teixeira escreve relatório intitulado Aspectos americanos de educação. Anísio retorna aos EUA para um curso de dez meses na Teachers College, onde obteve o título de ‘Master of Arts’, com especialização em educação. Entra em contato com John Dewey e William Heard Kilpatrick. Fernando de Azevedo introduz a cadeira de Sociologia na Escola Normal do Distrito Federal. Lourenço Filho publica a Cartilha do Povo. Traduz Educação e Sociologia de E. Durkheim, Testes para a Medida da Inteligência, de Binet e Simon e Tecno-psicologia do Trabalho Industrial, de Leon Walther.
1929 Freinet em Saint-Paul-de-Vence. Decroly: A fundação de globalização de ensino. Adler: A psicologia individual e a escola. Wittgenstein inicia a escrita de Philosophische Bemerkungen. Anísio Teixeira apresenta o estudo O ensino no Estado da Bahia 1924 – 1928 inspirado nas idéias de Dewey e no sistema escolar americano. Anísio Teixeira pede exoneração do cargo de Inspetor-Geral do Ensino da Secretaria do Interior, Justiça e Instrução Pública da Bahia. Conhece Fernando de Azevedo. Reforma da Instrução Pública de Fernando de Azevedo é transformada em Lei pela Câmara Municipal do Distrito Federal. Lourenço Filho realiza no Instituto de Educação de São Paulo o curso intitulado O Estudo da Escola Nova.
1930 Wilhelm Reich: A revolução sexual. Getúlio Vargas: Revolução de 1930. Anísio Teixeira torna-se o primeiro Diretor do Ensino Secundário no recém criado Ministério da Educação e Saúde Pública, sendo ministro Francisco Campos. Anísio Teixeira lança as primeiras traduções de ensaios de John Dewey, no livro Vida e Educação. Fernando de Azevedo publica o livro A Evolução do Esporte no Brasil. Lourenço Filho publica Introdução ao Estudo da Escola Nova. Assume o cargo de Diretor Geral da Instrução Pública do Estado de São Paulo. Abgar Renault é nomeado Secretário do Ministro da Educação e Saúde Pública Francisco Campos.
1931 Rugg: A vida americana e o programa escolar. Brasil: Reforma educacional de Francisco Campos (decreto nº 19.851). Anísio Teixeira muda-se para o Rio de Janeiro como funcionário do Ministério da Educação e Saúde. Assume o cargo de Diretor-Geral do Departamento de Educação e Cultura do Distrito Federal, no governo do prefeito Pedro Ernesto Batista. Inicia reformas educacionais. Convida Edgar Roquette-Pinto para dirigir a Rádio Escola Municipal. Fernando de Azevedo funda, organiza e dirige as revistas Biblioteca Pedagógica Brasileira (B.P.B.) e a Coleção Brasiliana. Publica o livro Novos Caminhos e Novos Fins. Lourenço Filho reorganiza a Diretoria Geral da Instrução Pública, mudando-lhe o nome para Diretoria Geral do Ensino. Reorganiza o ensino normal e o ensino profissional de São Paulo. Cria o serviço de Psicologia Aplicada. Assume em 19 de dezembro a chefia do gabinete do Ministro da Educação e Saúde, Francisco Campos.
1932 Makarenko: A Marcha de 1930. Mélanie Klein: A psicanálise das crianças. Brasil: Fernando de Azevedo redige e é o primeiro signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. Revolução Constitucionalista em São Paulo. Anísio Teixeira funda o Instituto de Educação, que integrou a antiga Escola Normal. Casa-se com Emília Telles Ferreira. Lourenço Filho é convidado por Anísio para o encargo de organizar e dirigir o Instituto de Educação do Distrito Federal.
1933 Makarenko: Poema pedagogia. Anísio Teixeira foi presidente e relator da “Comissão dos Dez” para a elaboração do capítulo sobre a Educação da nova constituição, junto com Arthur Moses, Afrânio Peixoto, Frota Pessoa, Fernando de Azevedo, Isaías Alves, José Augusto, Lourenço Filho, Lisymaco da Costa e Sampaio Dória. Fernando de Azevedo realiza o Código de Educação que é transformado no Decreto-Lei nº 5884. Lourenço Filho publica Testes ABC. Funda e dirige Arquivos do Instituto de Educação do DF.
1934 Publicado o livro Mein Weltbild (Como vejo o mundo) de Albert Einstein. Anísio Teixeira escreve Educação progressiva: uma introdução à filosofia da educação e Em marcha para a democracia: à margem dos Estados Unidos. Fernando de Azevedo é nomeado Diretor do Instituto de Educação de São Paulo, mais tarde incorporada a Universidade de São Paulo (USP). Fernando de Azevedo elabora o projeto de decreto-lei de criação da Universidade de São Paulo (USP) e Faculdade de Filosofia. Lourenco Filho é eleito presidente da Associação Brasileira de Educação – ABE.
 

O exílio

1935 Freinet: escola privada experimental em Vence. Anísio Teixeira organiza a Universidade do Distrito Federal – UDF, criada pelo decreto 5.513, de 4 de abril no Rio de Janeiro. Anísio Teixeira pede demissão do cargo de Diretor-Geral do Departamento de Educação e Cultura do Distrito Federal, indo para o refúgio na fazenda Gurutuba, em Caetité(BA). Fernando de Azevedo preside e é um dos fundadores da Sociedade Brasileira de Sociologia. Lourenço Filho é nomeado professor e diretor da Escola de Educação da Universidade do Distrito Federal – UDF, sendo em dezembro de 1938, vice-reitor e em 1939, reitor em exercício.
1936 Guerra Civil Espanhola. Kerschensteiner: A educação do cidadão. Maria Montessori: O pequenino em sua família. Paschoal Lemme é preso sob acusação de que seus cursos sobre educação de adultos com uma concepção de qualificação profissional implantados na administração da Diretoria de Instrução Pública do Distrito Federal de Anísio Teixeira foram encomendados pelo Partido Comunista.
1937 Início do Estado Novo. Fernando de Azevedo publica A Educação Pública em São Paulo, problemas e discussões e A Educação e seus problemas. Lourenço Filho é nomeado membro do Conselho Nacional de Educação. Exerce o cargo de Diretor Geral do Departamento Nacional de Educação. Alceu Amoroso Lima assume a Reitoria da Universidade do Distrito Federal.
1938 Kalinin: A educação comunista. Freud: Compendio de psicanálise. Makarenko: As bandeiras nas torres. Gaston Bachelard: Formation de l’esprit scientifique. Contribuition a une psychanalyse de la connaissance (Formação do Espírito Científico, Contribuição a uma psicanálise do conhecimento científico). É extinto o Instituto de Educação de São Paulo e todos os professores são transferidos para a Faculdade de Filosofia da USP. Fernando de Azevedo toma posse como presidente da Associação Brasileira de Educação – ABE em 19 de dezembro. Lourenço Filho é convidado pelo Ministro Gustavo Capanema para organizar e dirigir o Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos – INEP\MES, criado pelo decreto nº 580. Abgar Renault é nomeado Diretor do Departamento Nacional de Educação. Organiza e dirige o Colégio Universitário da Universidade do Brasil.
1939 Publicado Les sources et lê sens du communisme russe (Fontes e Sentidos do Comunismo Russo) de Nikolai Alexandrovitch Berdiaev. Em 20 de janeiro, Getúlio Vargas assinou o decreto-lei nº 1.063, que extinguia a Universidade do Distrito Federal. É criada pelo Decreto-lei nº 1.190 de 4 de abril, a Faculdade Nacional de Filosofia.
1940 Fernando de Azevedo publica Sociologia Educacional.
1941 Fernando de Azevedo é nomeado diretor da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo pelo secretário de educação José Rodrigues Alves Sobrinho. Lourenço Filho preside a Comissão Nacional de Ensino Primário.
1942 Joseph Alois Schumpeter publica o livro Capitalism, Socialism and Democracy. Lourenço Filho inicia a elaboração de uma série de doze livros infantis, sob o nome de Histórias do Tio Damião.
1943 Fernando de Azevedo publica A Cultura Brasileira: Introdução ao Estudo da Cultura no Brasil e A Nova e Velha Política: Aspectos e Figuras da Educação Nacional.
1944 Friedrich A Von Hayek publica o livro The Road to Serfdom (O caminho da servidão). Fernando de Azevedo publica Universidades no Mundo do Futuro. Lourenço Filho funda a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos do INEP. É um dos membros fundadores da Fundação Getúlio Vargas.
1945 Criada a Organização das Nações Unidas (ONU). Getúlio Vargas é deposto após 15 anos de governo. Fernando de Azevedo publica As Técnicas de Produção do Livro e as Relações entre Mestres e Discípulos. Lourenço Filho publica os artigos Orientação Educacional, A Margem dos Pareceres de Rui sobre o Ensino, São Necessários os Exames Escolares?, O Problema da Educação de Adultos, Educação e educação física, Ensino e Biblioteca.
1946 Anísio viaja para Londres a convite de Julien Sorell Huxley, primeiro Secretário-Executivo do Programa das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), onde assume o cargo de conselheiro de Educação Superior. Fernando de Azevedo publica Seguindo meu Caminho. Lourenço Filho publica Formação do Professor Secundário, Congressos e conferências de Educação: rápida resenha histórica e O Aproveitamento dos Diplomados pelas Faculdades de Filosofia em cargos e funções do serviço público.
 

O retorno

1947 Antonio Gramsci começa a escrita de Quaderni del cárcere que se estenderia ate 1951. Publicado a Dialektik der Aufklãrung (Dialética do Esclarecimento) de Theodor Adorno e Max Horkheimer. Anísio Teixeira retorna ao Brasil para assumir o cargo de Secretário de Educação e Saúde da Bahia a convite do governador Otávio Mangabeira. É publicado o artigo “Autonomia para educação na Bahia” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Anísio profere discurso na Assembléia Constituinte da Bahia sob o tema “Educação e cultura na Constituição do Estado da Bahia”. Fernando de Azevedo é nomeado para o cargo de Secretário de Educação e Saúde do Estado de São Paulo. Publica As Universidades no Mundo de Amanha. Lourenço Filho é convidado pela segunda vez para ocupar o cargo de Diretor do Departamento Nacional de Educação / Ministério da Educação e Saúde. Organiza e dirige a Campanha Nacional de Educação de Adultos. Publica Afrânio Peixoto, educador e A Campanha de Educação de Adultos. 
1948 Fernando de Azevedo publica Canaviais e Engenhos na Vida Política do Brasil. Lourenço Filho preside a Comissão Nacional para elaboração do ante-projeto da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Publica O Ensino Particular e o Estado, O Valor das Bibliotecas Infantis, A Criança na Literatura Brasileira.
1949 Revolução Chinesa. Fernando de Azevedo publica Ruy e o Humanismo. Lourenço Filho organiza e dirige o Seminário Interamericano de Alfabetização de Adultos. É eleito presidente da recém-fundada Associação Brasileira de Psicotécnica (depois denominada Associação Brasileira de Psicologia Aplicada).
1950 Publicado o livro Ou va lê travail humain? (Aonde vai o trabalho humano?) de Georges Friedmann. Anísio Teixeira deixa o cargo de Secretário de Educação e Saúde da Bahia. Inaugura o Centro Educacional Carneiro Ribeiro (Escola Parque), na Bahia. Lourenço Filho publica O Pensamento Experimental e a Escola, O Mistério da Vocação e o seu Sentido Científico, Conceito de Aprendizagem: definição de aprendizagem comercial.
1951 Getúlio Vargas é eleito Presidente da República, iniciando seu programa de industrialização e modernização nacional. Getúlio Vargas cria a Comissão Nacional de Política Agrária (CNPA), a Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento de Transportes, a Comissão Nacional de Bem-Estar, a Petrobrás, o Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) e o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDE). Anísio Teixeira assume a Secretaria-Geral da recém-fundada Campanha de Aperfeiçoamento do Pessoal do Ensino Superior (Capes) a convite do Ministro da Educação, Ernesto Simões da Silva Filho
1952 Publicado La philosophie de la valeur de Raymond Ruyer. Anísio Teixeira assume a direção do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (Inep). Conferencia sobre o projeto de Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional na Câmara Federal dos Deputados, a convite da Comissão de Educação e Cultura, em julho.
1953 Anísio Teixeira cria o Centro de Documentação Pedagógica (CDP). Anísio Teixeira lança a Campanha de Levantamento de Inquéritos para o Ensino Médio e Elementar (CILEME) e, como desdobramento da CILEME a Campanha do Livro Didático e Manuais de Ensino (CALDEME). É publicado o artigo “Condições para a reconstrução educacional brasileira” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e “O ensino brasileiro” no Boletim da CBAI.
1954 Publicado o livro Die Zertorung der Vernunft (A destruição da razão) de Gyorgy Lukacs. Anísio Teixeira apresenta no X Congresso Brasileiro de Educação, em Curitiba, o trabalho Sobre o problema de como financiar a educação do povo brasileiro. São publicados os artigos “A educação que nos convém” e “A escola secundária em transformação” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos.
1955 Anísio Teixeira funda o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais (CBPE). São publicados os artigos “Bases da teoria lógica de Dewey”; “A crise educacional brasileira e “Ciência e humanismo” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Fernando de Azevedo é nomeado por Anísio Teixeira Diretor do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de São Paulo – CRPE-SP.
1956 Juscelino Kubistchek é eleito Presidente da República; dá início a nova fase de industrialização. Anísio Teixeira participa da 1º Conferência Internacional de Pesquisa Educacional realizada nos Estados Unidos. Anísio Teixeira retoma as idéias em defesa de educação pública, universal e gratuita na conferência de abertura do I Congresso Estadual de Educação, na cidade de Ribeirão Preto(SP). Iniciado o Programa de Assistência Brasileiro-Americana ao Ensino Elementar (PABAEE). São publicados os artigos “Administração pública brasileira e a educação”, “Bases para uma programação de educação primária no Brasil” e “A escola pública universal e gratuita” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, “A escola pública” no Boletim Informativo CAPES e a “Extensão do ensino primário brasileiro” no Boletim CBAI.
1957 Anísio Teixeira torna-se professor da disciplina de Administração Escolar na Faculdade Nacional de Filosofia, integrante da Universidade do Brasil. Anísio Teixeira apresenta sua tese sobre “Municipalização do Ensino Primário” no Congresso Nacional de Municipalidade. Escreve Educação não é privilégio .Profere a palestra “Ciência e arte de educar” no 1º Seminário Interestadual de Professores em São Paulo. É publicado o artigo “Ciência e Educação” e a “Falsa elite” no Boletim Informativo CAPES, “A escola brasileira e a estabilidade social” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e “La escuela brasilenã y la estabilidad social” na revista La Educación. Mário Casasanta é nomeado Diretor do Centro de Pesquisas Educacionais.
1958 Publicado o livro The Human Condition (A Condição Humana) de Hannah Arendt e Physics and Philosophy, the Revolution in Modern Science (Fisica e Filosofia, a Revolução na Ciência Moderna) de Werner Heisenberg. Anísio Teixeira viaja aos EUA para integrar, a convite da OEA, a comissão de peritos em assuntos educacionais, para levantamento crítico do programa de educação da União Pan-Americana. Publicação do Memorial dos Bispos Gaúchos. São publicados os artigos “Educação - problema da formação nacional” e “O espírito científico e o mundo atual” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e “O ensino secundário” no Boletim Informativo CAPES. Fernando de Azevedo publica A Educação Entre Dois Mundos.
1959 Revolução Cubana. São publicados os artigos “Dewey e a filosofia da educação” no Boletim Informativo CAPES e “O ensino cabe à sociedade” e “Filosofia e educaçãona Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos de Anísio Teixeira. Fernando de Azevedo redige e é o primeiro signatário do Manifesto ao Povo e ao Governo: Mais uma Vez Convocados, que foi assinado por 180 educadores.
1960 Publicado o livro Critique de la raison dialectique de Jean-Paul Sartre. Anísio Teixeira participa da Conferência sobre o Progresso da Ciência nos Novos Estados em Israel. Integra a Comissão de Peritos para o Estudo Internacional de Admissão a Universidade em Beirute, Líbano. É publicado A nova Lei de Diretrizes e Bases: um anacronismo educacional, de autoria de Anísio e os artigos “Confronto entre a educação superior dos EUA e a do Brasil”, “Educação e nacionalismo” e “A educação e a constituição de 1946” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos.
1961 Guerra do Vietnã. Publicado Philosophie Morale de Eric Weil. Jânio Quadros toma posse como Presidente da República, renunciando em 25 de agosto. A Universidade de Brasília (UnB) é criada pela lei 3.998, de 15 de dezembro. É publicado Plano de construções escolares de Brasília, escrito por Anísio Teixeira. São publicados os artigos “Custo mínimo da educação primária por aluno”, “Educação e Desenvolvimento” e “A expansão do ensino superior no Brasil” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos.
1962 Anísio Teixeira é nomeado membro do Conselho Federal de Educação (CFE), sendo relator do Plano Nacional de Educação; prepara um parecer junto com outros dois Conselheiros, D. Cândido Padin e Brochado da Rocha, sobre “Bases para a Elaboração de Planos de Educação destinados à aplicação dos Fundos de Ensino”. Escreve Bases preliminares para o Plano de Educação referente ao Fundo Nacional do Ensino Primário e O desafio da educação para o desenvolvimento. É eleito vice-reitor da Universidade de Brasília (UnB).
1963 Anísio Teixeira vai para a Universidade de Colúmbia como professor convidado, onde é homenageado com a “medalha de honra por serviços relevantes” do Teacher’s College. É eleito o 4º reitor da Universidade de Brasília. Escreve 1963: ano da educação publicado no Boletim Informativo CAPES e o “Estado atual da educação” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Aplicação do método Paulo Freire em Angicos – RN, resultando na alfabetização de 300 trabalhadores em 45 dias.
 

Pós-Golpe Militar

1964 Em 9 de Abril o Comando Supremo da Revolução baixa o Ato Institucional nº 1 e a Universidade de Brasília é invadida por forças militares. Anísio Teixeira é afastado de suas funções como Reitor da UnB e aposentado compulsoriamente pelo governo militar (13 de abril). É publicado o artigo “Escola Pública é o Caminho para a Integração Social” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Anísio consegue autorização especial do governo militar para viajar aos Estados Unidos, onde se torna professor visitante da Universidade de Colúmbia. Paulo Freire exila-se na Bolívia em setembro.
1965 Publicado Democratie et Totalitarisme de Raymond Aron. Louis Althuesser publica A Favor de Marx. Anísio Teixeira torna-se professor visitante na Universidade de Nova Iorque. Anísio Teixeira profere na Califórnia a palestra intitulada A democracia e as suas relações criativas na educação. Novas fronteiras para a cooperação internacional. Fernando de Azevedo redige Declaração de Princípios e Solidariedade aos professores Mário Schemberg, João Cruz Costa, Florestan Fernandes, Fernando Henrique Cardoso e ao estudante Faud Saad, indiciados pela polícia como subversivos e com mandato de prisão preventiva decretada.
1966 Anísio Teixeira torna-se professor visitante na Universidade da Califórnia. Retorna ao Brasil, integrando o Conselho Nacional de Educação; Torna-se consultor para Assuntos Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Escreve Sugestões para o Planejamento da Educação nos Territórios e “Educação como experiência democrática para cooperação internacional” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Realiza um Estudo Especial sobre O problema de formação do magistério.
1967 Anísio Teixeira apresenta sugestões para a Universidade do Chile na sessão do Conselho Federal de Educação, que elaborou em quatro trabalhos: A autonomia universitária da América Latina; A universidade do Chile e a sua expansão; A expansão da Universidade do Chile e as inovações que sugere seu próprio crescimento e A política de admissão que a expansão da Universidade do Chile estaria a recomenda. Anísio Teixeira viaja novamente para os Estados Unidos para proferir a palestra “A crise mundial da Educação”, promovida pela Universidade de Williamsburg, na Virgínia. Anísio Teixeira é convidado para Paraninfo da turma de concluintes da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia, discorrendo sobre o tema A Longa Revolução de Nosso Tempo.
1968 Publicado o livro Erkenntnis und Interesse (Conhecimento e Interesse) de Jurgen Habermas. Ato Institucional nº 5. Anísio Teixeira escreve um Estudo Especial sobre a “Interpretação do Artigo 15 da Lei de Diretrizes e Bases”.
1969 Publicado o livro L’archeologie du Savoir de Michel Foucault. Anísio Teixeira publica seus dois últimos trabalhos: Educação e o Mundo Moderno e Educação no Brasil. É publicado o artigo “Escolas de educação” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos.
1970 Anísio Teixeira é agraciado com o título de Professor Emérito da Universidade do Rio de Janeiro. Anísio profere a conferência Cultura e Tecnologia na Fundação Getúlio Vargas. Escreve O pensamento precursor de McLuhan. Morre Lourenço Filho.
1971 Anísio Teixeira é indicado para a Academia Brasileira de Letras (ABL). Anísio Teixeira faz proposição para criação de um Centro de Estudos de Pós-Graduação em Educação, através de documento denominado Caráter Experimental dos Estudos Avançados dos Problemas Brasileiros da Educação. São publicados os artigos “Cultura e tecnologia”, “Educação, suas fases e seus problemas” e “Educar para o equilíbrio da sociedade” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, “A educação comum do homem moderno” na revista Arte e Educação e “Ensino humanístico e ensino científico em nosso tempo” na revista Temas. Em 11 de março, Anísio deixa a sede da Fundação Getúlio Vargas. É encontrado morto no poço do elevador do edifício de Aurélio Buarque de Holanda.
 

Pós-mortem

1972 ?
1973 Anísio Teixeira é homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito Educativo pelo Ministro da Educação e Cultura, Jarbas G. Passarinho. É publicado o artigo “Análise de sistemas e educação” na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos.
1974 Fernando de Azevedo morre em São Paulo em 17 de Setembro.
 

Francisco Gilson Rebouças Porto Júnior
Faculdade de Educação, Universidade de Brasília (UnB)
Enero 2003

Bibliografia

BOHEMY, Helena. Os intelectuais da Educação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2001.

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

COUTO, Ronaldo Costa. Memória Viva do Regime Militar – Brasil: 1964-1985. Rio de Janeiro: Record, 1999.

FÁVERO, Maria de Lourdes A e BRITTO, Jader de Medeiros. Dicionário de Educadores no Brasil: da Colônia aos Dias Atuais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ / MEC- Inep, 1999.

GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: Uma Biobliografia. São Paulo: Cortez / Instituto Paulo Freire / UNESCO, 1996.

GHIRALDELLI Jr., Paulo. História da Educação. São Paulo: Cortez, 1990.

LIPIANSKY, Edmond-Marc. A Pedagogia Libertária. São Paulo: Ed. Imaginário, 1999.

PÔRTO Jr, Gilson e CUNHA, José Luiz (Orgs.). Anísio Teixeira e a Escola Pública. Pelotas, RS: Editora UFPel, 2000.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura Militar, Esquerdas e Sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2000.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

SCHWARTZMAN, Simon et. al. Tempos de Capanema. São Paulo: Paz e Terra: Fundação Getúlio Vargas, 2000.

TOBIAS, José Antônio. História da Educação Brasileira. São Paulo: Ed. Juriscredi, s/d.

 

© José Luis Gómez-Martínez
Nota: Esta versión electrónica se provee únicamente con fines educativos. Cualquier reproducción destinada a otros fines, deberá obtener los permisos que en cada caso correspondan.

 

Home Repertorio Antología Teoría y Crítica Cursos Enlaces

jlgomez@ensayistas.org